terça-feira, 29 de dezembro de 2015

Vida

Cada miserável passo me rasga a pele
Como podemos, nós humanos, suportar a jornada?
A solitária e cruel jornada.
Sempre ambígua, sempre tão complexa.
Estamos em intensa e contínua contradição.
Forjamos encontros e conversas sinceras.
Relatar a carne e sentir o cheiro. 
Buscamos o olhar, o caminho, o fim, a luz?
E a existência? Sentido? Resposta? 
Somos eco, somos terra, somos morte.
Somos o ciclo e somente isso.

LMD

2 comentários:

  1. Gostei. É intenso. Liso e forte.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir